31 outubro, 2014

Passatempo Zomato - Adega Machado

Já vos falei várias vezes da Zomato!
É para mim, uma app fantástica, através da qual tenho descoberto espaços diferentes e muito interessantes que não sabia que existam. Mas mais do que um conceito inovador, existe uma grande interacção entre os utilizadores que são verdadeiros apaixonados pela comida e a própria Zomato.
Por tudo isso, e aproveitando que o 3º aniversário do blog está próximo, aqui está um delicioso passatempo!

Temos para oferecer um magnífico convite para jantar para 2 pessoas no restaurante Adega Machado.
Um restaurante típico fundado em 1937, uma das mais conhecidas casas de fado do Bairro Alto, que reabriu no verão de 2012 com nova gerência, decoração contemporânea e novos espaços de animação. O fado e a gastronomia tradicional portuguesa continuam a ser o principal mote desta casa. As reviews não enganam!




Para se habilitarem a ganhar, basta seguir estas regras:
- Efectuar o registo em Zomato http://www.zomato.com/pt
- Ser meu seguidor http://www.zomato.com/pt/sweetmykitchen

- Partilhar o passatempo numa rede social (Facebook, Gooogle+, Instagram, Twitter) ou no vsso blog, caso tenham
- Preencher o formulário abaixo e clicar em enviar até dia 11 de Novembro às 23h59


Cada participante pode participar uma vez por dia.
O vencedor será anunciado no dia 13 de Novembro, seleccionado por random.org e contactado via email para fornecer a morada para onde será enviado o voucher.
O voucher tem validade até 30 de Novembro e inclui entrada, prato principal, copo de vinho e sobremesa para 2 pessoas.


Caril ao estilo do Sri Lanka

Acho que a esta altura já não preciso relembrar o quanto gosto de especiarias...
E se gosto tanto de experimentar especiarias novas e diferentes combinações em muitos dos pratos que faço, quando penso em fazer uma receita em que as especiarias são as verdadeiras protagonistas da receita, com o seu aroma a inundar a cozinha, fico sempre ansiosa para provar o resultado final.
Este é um caril diferente de todos os outros que já fiz... Não só porque leva batata, algo que não costumo adicionar às minhas receitas de caril, como pela combinação dos vários ingredientes e pelo facto de no meio de tantas especiarias, o caril não ser uma delas!
Quem preferir, pode sempre substituir a carne de vaca por outro tipo de carne, eu recomendo borrego e quanto ao factor "picante" podem diminuir ou simplesmente nem usar as malaguetas.



Ingredientes:
500g carne de vaca em cubos
2 batatas grandes, descascadas, em cubos
50g azeite
1 lata tomate em pedaços
Sal q.b
Pimenta q.b.
1 cebola, picada
1 c. sopa de gengibre ralado
2 dentes de alho picados
2 a 3 malaguetas secas picadas
½ c. chá açafrão em pó
1 c. chá coentros em pó
½ c. chá cominhos em pó
½ c. chá sementes de funcho
3 sementes de cardamomo esmagadas
2 paus de canela



Preparação:
- Prepare uma pasta de caril misturando a cebola, alho, gengibre, malagueta e todas as especiarias numa taça grande. Depois junte a carne e as batatas, envolva bem.
- Numa panela ou tacho grande, aqueça o azeite e coloque a mistura de especiarias com a carne e as batatas, vá mexendo e deixe fritar durante cerca de 10 minutos.
- Junte a lata de tomate e cerca de 150ml de água, deixe levantar fervura, rectifique o tempero e deixe cozer lentamente durante cerca de 20 minutos, até que a carne e as batatas estejam macios.
- Sirva acompanhado com arroz de açafrão e pão naan.



30 outubro, 2014

Slim penne com atum

Confesso que quando experimentei a famosa massa konjac pela primeira vez estava muito hesitante, sendo uma massa tão diferente daquela a que estamos habituados.
Já experimentei quase todas as variedades e até agora só não gostei muitos dos noodles, de resto tenho sempre ficado satisfeita com o resultado.
Tem imensas vantagens usar este tipo de massas, já que além de ter pouquíssimas calorias, também é adequado a celíacos, vegans, etc, uma excelente alternativa para quem procura reduzir os hidratos de carbono na alimentação e melhor ainda demora muito pouco tempo a cozinhar!
Basta abrir o pacote, escorrer e passar a massa por água, depois é só juntar ao que estiverem a cozinhar (carne, peixe, legumes, etc) para que absorva os sabores e está pronto a servir.





Ingredientes:
30g azeite
1 cebola picada
2 dente de alho picados
2 latas de atum
1 lata de tomate em pedaços
Sal q.b.

Oregãos q.b.
50g de azeite
Parmesão ralado q.b.


Preparação:
- Num tacho ou panela, deite o azeite e junte a cebola e o alho, deixe refogar.
- Junte a lata de tomate e o atum, junte oregãos, tempere com sal e pimenta, tape e deixe cozinhar durante cerca de 15 minutos, mexendo ocasionalmente.
- Abra a embalagem de slim pasta, escorra bem e adicione ao atum.
- Deixe cozinhar por mais 5 ou 10 minutos.
- Se quiser, sirva com parmesão ralado.



29 outubro, 2014

Chips de courgette

Há imenso tempo que via fotos ou receitas deste snack saudável, mas normalmente nunca tinha courgette a mais ou esquecia-me de comprar courgette só por causa desta receita.
É um snac saudável, pobre em calorias, que podemos temperar a gosto e usar quer como um snack ou lanchinho ou mesmo como acompanhamento de alguma refeição.
No início desta semana, como tinha sobrado bastante comida do fim de semana, e com uma courgette sozinha na gaveta dos legumes achei que era o momento ideal... Bem, sabem aqueles dias que mais valia estarem quietinhas?!?
Eu que até me considera bastante cuidadosa com tudo o que envolva cortar alimentos, agarrei na minha mandolina (porque tem uma lâmina para fazer o efeito ondulado) e lá comecei a tratar da courgette... até que, não me perguntem como porque nem eu sei bem, cortei-me! Quem já se cortou com uma faca sabe o quanto custa, mas digo-vos com uma mandolina... meu deus!
Enfim, não vou estar aqui a maçar-vos com este "acidente culinário", fica o aviso que de estas coisas podem acontecer até aos mais cuidadosos. Claro que agora tenho de ficar uns tempos afastada da cozinha, só tenho a agradecer ao meu querido Bruno que me ajudou a finalizar estas chips para que vos pudesse trazer a receita e a todos os que me desejaram as melhoras no meu facebook pessoal.
Ainda que afastada da cozinha, os posts continuam até porque tenho receitas que já fiz mas ainda não publiquei... escrever é que é mais complicado já que o corte foi num dos dedos da mãe direita, por isso não estranhem a possível ausência de comentários.





Ingredientes:
1 courgette
Sal q.b.
Azeite q.b.
Pimenta de caiena q.b.
Paprika Margão q.b.


Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 150º.
- Corte a courgette em rodelas finas, depois coloque-as entre papel de cozinha absorvente para retirar a humidade.
- Coloque as rodelas de courgette num tabuleiro, por cima de uma folha de papel vegetal, pincele com um pouco de azeite e leve ao forno durante 30 minutos.
- Aumente a temperatura para 180º e deixe cozinhar durante cerca de 10 minutos ou até que as rodelas de courgette estejam ligeiramente douradas.
- Retire do forno, polvilhe com sal, a pimenta de caiena e a paprika.
- Sirva ainda quente ou deixe arrefecer.



28 outubro, 2014

O Fondue

Confesso que há já bastante tempo que tinha curiosidade relativamente a este espaço, já tinha lido e ouvido falar muito bem e a ideia de ter carnes de caça e exóticas tornava o conceito de fondue (ainda) mais interessante.
Adquiri um voucher que incluia entradas, fondue de carne kobe, respectivos acompanhamentos e o fondue de chocolate com marshmallows, profieroles, etc para 2 pessoas.
Quando quis fazer a reserva, o atendimento foi bastante atenciosos tendo havido o cuidado de me perguntar se preferia a sala de fumadores ou não fumadores.




A sala é algo desinteressante e impessoal, sem quaisquer apontamentos decorativos. Destaque para o sistema de extracção de fumos, que mesmo com sala cheia não fica com fumo e nem saímos de lá com cheiro na roupa. O atendimento é distante, provavelmente devido ao facto de não serem assim tantos empregados para a quantidade clientes a servir.




Começando pelas entradas: são imensas e todas deliciosas, camarão e presunto, ovos de codorniz, vários tipos de saladinhas em que destaco a de polvo, paté e pão... só as entradas são uma verdadeira refeição!




Não são só as carnes exóticas que tornam este restaurante de fondue diferente, mas o próprio fondue em si que é uma espécie de chapa quente, a carne é deliciosa e vem bem temperada. A acompanhar a batata frita estaladiça, uma taça enorme de fruta variada e 6 molhos.

A única coisa que posso apontar como menos positivo é que quando os molhos chegam à mesa ninguém explica do que são e verdade seja dita nenhum deles é particularmente digno de nota.



Para beber, pedimos sangria branca que era deliciosa, doce q.b. e refrescante.




Como sobremesa, chegou então o fondue de chocolate com os marshmallows, profiteroles, biscoitos e chantilly... o chocolate já vem derretido, portanto é só molhar e comer! O chocolate é delicioso, adorei os marshmallows, já os profiteroles eram saborosos mas estavam algo duros.


No geral, é uma experiência muito interessante! 

Filetes de pescada à mexicana

Quem não gosta de receitas rápidas e saborosas?
Há sempre aqueles dias em que não sabemos bem o que fazer ou simplesmente temos uns filetes que sobraram e estão meio esquecidos no congelador... Pois bem, num desses dias achei que estes filetes eram óptimos para um almoço leve e rápido.
Inspirei-me nos sabores mexicanos, porque mesmo que uma refeição seja muito rápida de se preparar, queremos sempre que tenha um sabor característico e diferente, para isso basta-me um pouco de imaginação e abrir o meu armário de especiarias!
E assim, temos um almoço para 2, prontinho a devorar em pouco mais de 10 minutos.




Ingredientes:
3 filetes de pescada
1 tomate maduro, sem sementes e picado
1 cebola pequena picada
1 c. sopa concentrado de tomate Compal da Horta
½ c. chá cominhos em pó
½ c. chá coentros em pó
Molho tabasco q.b. (opcional)
Sal q.b.
Queijo mozzarella ralado q.b.
Pão ralado panko picante q.b.
Sumo de limão q.b.




Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 180º e pincele um pyrex com um pouco de azeite.
- Coloque os pedaços de tomate numa taça, junte a cebola, o concentrado de tomate, as especiarias e o molho tabasco, misture bem. Reserve.
- Coloque os filetes no pyrex e cubra-os com a mistura reservada, tempere com sal e polvilhe com o queijo ralado e o panko.
- Leve ao forno durante cerca de 10 a 15 minutos.
- Acompanhe com salada e tortilla chips.




Nota:
Se quiser fazer uma refeição com mais quantidade ou para mais pessoas (por ex: 4), basta duplicar as quantidades de peixe e tomate, quanto aos temperos é adaptar a gosto.

27 outubro, 2014

Quiche de legumes marroquina

Eu adoro quiches caseiras!
Costumo usar sempre a mesma base, feita de massa quebrada, mas estou sempre a experimentar recheios novos, com ingredientes diferentes e a quiche de hoje é o mais recente exemplo.
O recheio é de legumes, podem usar os legumes que preferirem ou que tenham sobrado de alguma outra receita, eu usei uma lata de legumes para cuscuz que vi um dia destes no supermercado e me pareceu interessante. Quanto às natas, decidi experimentar algo diferente e testar natas de espelta, são bastante diferentes das natas normais já que são menos cremosas e com um tom claro de caramelo, dá um sabor mais intenso e rústico à receita.
Eventualmente, não é a quiche mais bonita que já fiz, mas é sem dúvida mais leve e saudável.
Já agora, se tiverem sugestões de massas que possa usar como base de quiche, feitas com farinha de espelta, grão ou outra, deixem vossa sugestão nos comentários.





Ingredientes:
1 embalagem de massa quebrada
1 lata de legumes para cuscuz, escorrida
½ c. chá de cominhos em pó
½ c. chá de coentros em pó
50g mozzarella ralado q.b.
3 ovos
1 pacote natas de espelta
Sal q.b.
Pimenta q.b.


Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 180º.
- Forre uma tarteira com a massa, pique toda a massa com uma garfo, antes de a cozer, para que esta não enfole.
- Tempere os legumes com as especiarias, sal e pimenta, depois distribua por cima da massa e por cima, espalhe o queijo ralado.
- Numa taça, bata os ovos e adicione as natas, deite por cima do queijo.
- Leve ao forno durante cerca de 30 minutos.





24 outubro, 2014

Risotto de açafrão e mar

Nunca fui uma grande fã de arroz, com excepção para o arroz de açafrão e arroz de tomate malandrinho, sempre preferi as massas... até fazer o meu primeiro risotto.
Adoro a textura mais cremosa e consistente, tão reconfortante e que se adapta tão bem a uma receita vegetariana, com carne ou peixe.
Tenho feito várias experiências, mas já há bastante tempo que não fazia uma espécie versão mar, e como tinha saudades saiu esta combinação: açafrão para um sabor mais doce e característico e seafood mix uma mistura variada de camarão, lula e polvo pequeno. Perfeito para dias mais frescos, porque é reconfortante o suficiente, mas também ideal para estes dias surpreendentemente quentes acompanhado de um belo copo de vinho branco.




Ingredientes:
1 embalagem de seafood mix
1 cebola
2 dentes de alho
50g azeite
300g arroz para risotto
900g água
50g vinho branco
1 caldo vegetal
1 c. chá de açafrão 
Sal q.b.
Pimenta q.b.
20g coentros picados (opcional)
20g manteiga
30g parmesão ralado




Preparação:
- Coloque no copo a cebola, o alho, o azeite e pique 6seg, Vel 5.
- Refogue 3min, Temp Varoma, Vel 1.
- Adicione a água, o vinho, o arroz, o caldo vegetal, o açafrão, tempere com sal e pimenta, programe 5min, Temp 100º, Vel Colher Inversa.
- Junte a embalagem do seafood mix e os coentros, envolva com a ajuda da espátula para soltar o arroz, programe 15min, Temp 100º, Vel Colher Inversa.
- Envolva a manteiga e o parmesão e sirva de imediato.
 


23 outubro, 2014

Novidades na estante

Isto de comprar livros é um vício daqueles... não interessa que o espaço já seja pouco, quando encontro um livro que gosto não consigo resistir. E a vossa sorte é que só vos mostro os livros de culinária, senão não fazíamos outra coisa que falar de livros!
Hoje trago 3 livros com receitas deliciosas e 1 livro que serve para reflectir e alertar, podem encontrá-los online ou nas livrarias.




- As minhas receitas para brunch
A história do brunch e de como ele se tornou célebre pelo mundo.
Ideias para menus, dicas para cozinhar e informações sobre como conservar alimentos. Receitas de bebidas quentes e frias, cereais, doces e compotas, pratos salgados e outros. 
Com espaço para anotações e onde podemos colocar as nossas receitas preferidas.
- Comida Caseira
Ao longo de mais de 120 novas receitas, esta obra traz-nos de volta o prazer de cozinhar e de partilhar com a família e os amigos o melhor da comida caseira, desde os pequenos-almoços quotidianos aos jantares de sábado.
Confesso que quando folheei o livro pela primeira vez, não me convenceu... depois de ver o programa na televisão, decidi dar uma nova oportunidade. Voltei a folhear o livro, agora com mais atenção e fiquei rendida.
- Bolos na caneca
Mais de 30 receitas para fazer deliciosos bolos individuais em apenas alguns minutos.
Há muito por onde escolher: bolo de limão, bolo de caramelo, bolo de cenoura, fondant de chocolate, brownie e muito, muito mais!



E por último, mas provavelmente muito mais importante a longo prazo, um livro completamente diferente e deixo desde já o aviso de que quem não quiser saber os efeitos que o trigo, o glúten e outros alimentos vos provocam no cérebro, podem dar a leitura do post por terminada.


Cérebro de farinha
O autor Dr. David Perlmutter é um prestigiado neurologista e preside ao Perlmutter Health Center, na Florida, e à Perlmutter Brain Foundation, sendo ainda membro do Associação Americana de Nutrição. Segundo este livro, o autor e os estudos apresentados, os hidratos de carbono destroem o cérebro. E podem conduzir à demência, depressão, epilepsia, ansiedade, dores de cabeça crónicas e muito mais.
O destino do seu cérebro é ditado por aquilo que come todos os dias. As doenças degenerativas são causadas em primeiro lugar por inflamações, que têm origem no consumo de alimentos hipercalóricos, sobretudo os que contêm glúten ou elevado teor de açúcares.
Mas podemos contrariar a decadência natural do nosso cérebro com uma dieta rica em proteínas e "boas gorduras".

Não me considero fundamentalista e nem sou adepta de soluções extremas, gosto de cozinhar e desde que me conheço por gente que adoro comer! Acho que qualquer que seja o estilo de vida que adoptemos devemos sentirmos bem connosco e deve haver sempre margem para os nossos "pecados" (afinal, as regras existem para serem quebradas, que me desculpem!). 
Da mesma forma que não me custou nada reduzir bastante o consumo de hidratos de  carbono (mas quando me apetece como de forma moderada e afinal quem resiste a lasanha ou carbonara?) seria para mim muito mais difícil (para não dizer impossível!!!) abdicar de consumir ovos, peixe, carne ou queijo.
Ao mesmo tempo, considero-me uma pessoa ávida por conhecimento... e da curiosidade resultou a compra deste livro.

E se inicialmente poderia estar céptica, o facto é que até agora do que li (e estou apenas no início) é que existem coisas que não podem ser ignoradas: o trigo que consumimos agora não é igual ao de há 50 anos atrás, nos últimos anos que verifica-se um aumento do consumo dos hidratos de carbono a par com o aumento de diabetes, doenças auto-imunes, entre muitas outras. E que existem estudos com pelo menos 20 anos que afirmam isso mesmo, mas ninguém fala sobre isso...
Certamente por algum motivo a maioria das dietas ou livros de dietas adopta um sistema de menos hidratos e mais proteínas, reduzir os açúcares refinados, aumentar a ingestão de legumes, por aí fora não é?! Pois bem, e falando por mim desde a redução de hidratos de carbono (pão, massas, arroz e outros) que noto bastantes diferenças: perda de peso, menos dores de cabeça e fadiga, maior concentração, mais energia, menos retenção de líquidos, redução de problemas intestinais, apenas para nomear alguns.


E para já, é isto! Haveria muito mais para dizer, mas o post já vai longo e acho que já ficam com uma ideia. Peço desculpa pela extensão do post e agradeço o interesse de quem tiver tido a paciência de ter lido até ao fim =)
Quem quiser saber mais sobre o assunto, pode pesquisar, comprar o livro, etc... se eventualmente houver interesse da vossa parte, posso fazer um post apenas acerca do livro com mais informação.

Frango no forno com especiarias

Comida feita no forno.... Eu adoro a comida quando é feita no forno, e a verdade é que faça chuva ou sol, frio ou calor, eu adoro o sabor com que a comida fica. E sim, mesmo que esteja um calor abrasador se por acaso me apetecer uma receita de forno, não é isso que me vai demover! 
Da mesma forma que há quem não resista a fazer bolos em qualquer altura do ano, eu não resisto às minhas receitas de forno... porque mesmo com o calor, existe sempre a vantagem de que a partir do momento em que a comida vai lá para dentro, é o forno que faz tudo.
Outra coisa que para mim é impensável dispensar são as especiarias... é muito raro não usar especiarias quase todos os dias ou pelo menos uma vez por semana, pode ser algo tão simples como um pouco de açafrão ou paprika ou uma combinação mais elaborada e exótica de especiarias.




Ingredientes:
6 coxas de frango
Sumo de 1 limão
1 c. chá de gengibre ralado
3 dentes de alho esmagados
1 c. chá pimentão doce Margão
1 c. chá flocos de malagueta
Sal q.b.
1 c. sopa de mel
1 c. sopa azeite
Coentros picados q.b.


Preparação:
- Numa taça, misture o sumo de limão, o gengibre, o alho, o pimentão doce, os flocos de malagueta, sal e o mel. Reserve.
- Coloque as coxas de frango num pyrex, por cima deite a mistura reservada e deixe marinar durante pelo menos 30 minutos.
- Ligue o forno a 180º.
- Junte parte dos coentros picados à carne e leve ao forno durante cerca de 20 a 25 minutos.
- Polvilhe com mais coentros e sirva com salada ou arroz de açafrão.


22 outubro, 2014

Tranches de pescada com molho simples

Existem aqueles dias em que não sabemos muito bem o que cozinhar...
Num desses dias, em que tinha destinado fazer umas tranches de pescada, mas não sabia muito bem o que fazer com elas: em papelote com vegetais, com cebolada, gratinadas... Até que o meu marido me lembrou desta receita.
Confesso que é tão simples e rápida que já não me lembrava mesmo dela, aliás esta foi uma das primeiras receitas de peixe (e que repetia com alguma frequência) quando a Bimby veio cá para casa e jurava que já estava aqui no blog... mas enganei-me! E ainda bem, porque assim pude revisitar um "clássico".



Ingredientes:
500g tranches de pescada
1 cebola
2 dentes de alho
30g azeite
1 pacotes de natas light
3 c. sopa polpa de tomate
Sal q.b.
Pimenta q.b.


Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 180º.
- Coloque no copo da Bimby a cebola, alho e azeite, pique 5seg, Vel 5 e refogue 5min, Temp 100º Vel 1.
- Adicione a polpa de tomate, as natas, o sal e a pimenta e triture 5seg. Vel 5 e programa 4min, Temp 100º, Vel 1.
- Num pyrex ou tabuleiro, coloque as tranches de pescada e por cima destas verta o molho.
- Leve ao forno durante cerca de 20 minutos.
- Acompanhe com puré de tomate, arroz de cenoura ou salada.



Fonte - Receita adaptada do Forum Bimby

21 outubro, 2014

Lisboète

À primeira vista pouco ou nada parece ter mudado no nº 94 da Calçada Marquês Abrantes, já que o mobiliário e a decoração do antigo restaurante Alma mantêm-se, mas naquilo que mais importa – a comida – há muitas surpresas.
Uma cozinha que se distingue por um equilíbrio quase perfeito entre a técnica da cozinha francesa e a autenticidade dos sabores portugueses, descoberta ao longo dos muitos anos que o chef vive em Portugal. 



O espaço em si é elegante e minimalista, sem se tornar impessoal ou pretensioso, em que o branco predomina desde os tectos, aos atoalhados e mobiliário.
O serviço é atento, amável e disponível em todos os momentos, quer para explicar os diferentes pratos e o conceito do restaurante, quer pela atenção aos pequenos pormenores.



O couvert era composto por manteiga de lima, tapenade de atum e paté de sapateira, ainda que todos deliciosos o tapenade sem dúvida destacava-se.




O prato principal composto por bochecha e medalhão de novilho com molho de cebola confitada foi uma agradável surpresa com os sabores bem apurados, um prato reconfortante sem ser pesado e em que todos os elementos combinavam na perfeição. 




Para sobremesa, uma versão diferente da sericaia tradicional a que estamos habituados, com 2 tipos de ameixas diferentes e gelado de baunilha, uma verdadeira alegria para o palato.




Para finalizar, a acompanhar o café 2 pequenas e delicadas madalenas.

De destacar que, para além da ementa fixa, ao almoço existe a possibilidade de optar por uma ementa com um preço mais apelativo que ronda 12.50€ ou 15€ por pessoa (dependendo se além de entrada+prato+bebida também querem sobremesa) e que é uma excelente forma de ficar a conhecer alguns dos pratos e uma cozinha diferente.

Memorável... A repetir!

Waffles com coco sem glúten

Para mim, toda a questão de viver sem, ou pelo menos reduzindo drasticamente os hidratos de carbono, assim como uma alimentação sem glúten é um território novo e desconhecido para mim.
Felizmente, pelo menos tanto quanto sei, não sou intolerante ao glúten ou a qualquer outro tipo de alimento, mas a verdade é que adoro experimentar novos ingredientes, novas receitas e sair da minha zona de conforto. Ao mesmo tempo, estou a ler este livro que fala nos efeitos nocivos que o trigo, o glúten e outros causam ao nosso cérebro, infelizmente faz todo o sentido e é algo um pouco assustador! Mas pronto, isso é assunto para outro post...
A receita de hoje é duplamente doce: as waffles são deliciosas e como se isso não bastasse também são saudáveis, livres de glúten. Já fiz outras receitas de waffles, aliás esta receita é uma adaptação disso mesmo, mas sem dúvida que estas são as minhas preferidas! Mas não acreditem em mim, experimentem em casa... Não têm máquina de waffles?! Não faz mal, usem uma frigideira anti-aderente e façam panquecas =)





Ingredientes:
3 ovos
250g leite magro
250g farinha para bolos Nutrifree
1 c. chá fermento
100g manteiga sem sal
1 pitada de sal
100g açúcar
2 c. sopa coco ralado

Para decorar:
Morangos q.b
Mel q.b.



Preparação:
- No copo da Bimby, coloque todos os ingredientes excepto o coco ralado e programe 1min, Vel 6.
- Adicione o coco ralado e programe 20seg, Vel 3.
- Ligue a máquina de waffles e quando esta estiver pronta, unte com óleo ou manteiga ou pulverize com spray.
- Vá colocando a massa na máquina, deixe cozinhar, reserve as waffles à medida que vão ficando prontas e repita o processo até acabar a massa.
- Por cima da waffles deite um pouco de mel e sirva com os morangos.



Notas:
Pode substituir o leite magro, por leite de soja, de amêndoa, de arroz, etc.
Pode usar açúcar branco refinado ou açúcar mascavado.
Se preferir, decore com açúcar em pó.

20 outubro, 2014

Bagel de pesto, tomate e mozzarella

Recentemente, tenho colocado aqui no blog algumas sugestões de recheios para bagels. Desde uma sugestão mais clássica, como o bagel com salmão fumado ou uma espécie de pequeno-almoço no bagel com o bagel de ovos mexidos, existem inúmeras possibilidades.
E confesso que ainda que adore salmão fumado e ovos mexidos, a sugestão de hoje é sem dúvida a minha preferida! O bagel ligeiramente torrado com o molho pesto, depois o queijo mozzarella que se deixa derreter, o tomate cereja doce e carnudo e as fresca folhas de manjericão para finalizar.
É perfeito como sugestão de brunch, mas é também uma deliciosa sugestão como refeição leve e rápida.





Ingredientes:
2 bagels com sementes
2 c. chá molho pesto alla genovese Ponti 
1 embalagem de mozzarella
10 tomates cerejas
Folhas de manjerião q.b.


Preparação:
Corte os bagels ao meio e se quiser, coloque-os numa torradeira ou no forno, utilizando a opção de grill.
- Enquanto isso, corte a mozzarella em pedaços e os tomates cereja ao meio. Reserve.
- Barre os bagels com molho pesto e por cima coloque a mozzarella, leve novamente ao forno para que derreta.
- Coloque algumas folhas de manjericão e sirva ainda quente.



17 outubro, 2014

Cogumelos recheados com alho-francês e fiambre

Desde pequena que gosto de cogumelos, não sei muito bem de onde é que vem este preferência, mas a verdade é que é um dos alimentos que não dispenso.
Ainda que dê preferência aos cogumelos frescos, a verdade é que tenho sempre algumas latas de cogumelos na minha despensa... em dias mais complicados ou que tem de sair uma refeição rápida, uma lata de cogumelos laminados, pode dar uma grande ajuda sejam salteados com vegetais ou para complementar uns bifinhos com molho de natas e estragão. Felizmente que hoje em dia também é muito mais fácil ter cogumelos frescos à refeição, podemos facilmente ter um kit de produção de cogumelos em casa e mesmo nas superfícies comerciais já está disponível vários tipos de cogumelos, desde os portobellos, aos shitake e shimeji ou os mais exóticos enoki.
Para mim, os cogumelos recheados para além de serem deliciosos, são extremamente versáteis e podem ser um excelente substituto da carne.




Ingredientes:
4 cogumelos Portobello
1 c. sopa azeite 
1 cebola picada
1 dente de alho picado
150g fiambre aos cubos
1 alho-francês picado
2 c. sopa concentrado de tomate Compal da Horta
Pimenta q.b.
Queijo mozzarella ralado q.b.



Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 180º.
- Limpe os cogumelos para retirar qualquer sujidade e separe os pés.

- Coloque os cogumelos num recipiente para ir ao forno.
- Numa frigideira pré-aquecida deite o azeite e junte a cebola, o alho, o alho-francês e deixe saltear.
- De seguida, junte o fiambre e o concentrado de tomate, tempere com pimenta e deixe saltear.
- Divida o preparado pelos cogumelos, polvilhe o queijo e leve ao forno durante cerca de 12 a 15 minutos.
- Acompanhe com salada.



16 outubro, 2014

Lisboa RestaurantWeek

Está de volta mais uma edição da Restaurant Week!
De 16 a 26 de Outubro, a Lisboa Restaurant Week repete a receita: chefs criam menus por 20€ em que 1€ segue para organizações de solidariedade social. Depois de Lisboa, a iniciativa vai também voltar ao Porto de 30 de Outubro a 9 de Novembro (informação disponível a partir de dia 27).


Devem participar cerca de 90 restaurantes, a lista está em actualização, mas já é possível consultar o seu dos restaurantes e respectivos menus e reservar.



Aproveito para deixar como sugestão alguns dos restaurantes que já visitei ou dos quais tenho excelentes referências e que participam nesta edição:
- A Casa do Bacalhau
- Adlib 
- Casa da Dízima
- Come Prima
- Faz Figura 
- Lisboete
- Monserrate 
- O Fondue
- Os Prazeres da Carne
- Substância 
- Via Graça
- Volver by Chakall
- Zambeze

O preço é o mesmo das edições anteriores: 20€, que inclui entrada, prato principal e sobremesa, as bebidas são pagas à parte. E como é hábito, 1€ de cada menu seguirá para apoio social, revertendo para as associações Movimento Mulheres de Vermelho, Movimento ao Serviço da Vida e Aldeias de Crianças S.O.S.
As reservas podem ser feitas online, através do parceiro BestTables (incluindo app para iphone e android) ou através do telefone (212490000, das 10h30 às 22h30).

Pão de pimentão doce e malagueta com tomate seco

Hoje celebra-se o World Bread Day e um pouco por todo o mundo irão ser feitos pães de todas as formas e feitios que possam imaginar.
Não sou a pessoa mais indicada para fazer pão... já que não sou propriamente paciente, tenho alguma dificuldade em esperar aquele tempo que o pão precisa de levedar, por isso acabo por não fazer tanto pão caseiro como gostaria. 
Por esse motivo, e se forem como eu ou simplesmente tiverem pouco tempo para se dedicarem às maravilhas da panificação, uma máquina de fazer pão é mesmo a melhor solução.
Trago-vos um pão diferente, podem sempre experimentar outro tipo de farinha, é muito simples e aromático, acho fantástico para acompanhar com queijo ou doce de courgette que vos mostrei no outro dia.





Ingredientes:
2 c. sopa azeite
300ml água
500g farinha para pão rústico
1 c. sopa pimentão doce Margão
1 c. chá flocos de malagueta (opcional)
50g tomate seco em óleo com cebola Ponti picados




Preparação:
- Coloque na cuba da máquina todos os ingredientes pela ordem indicada, excepto o tomate seco.
- Seleccione Programa Pão Básico750gr e nível de tostagem médio.

- Após o sinal sonoro, coloque então o tomate seco.
- No final do programa (cerca de 3 horas), retire a cuba e desenforme o pão.




Fonte - Receia adaptada do livro 200 Receitas - Pão

15 outubro, 2014

Fettucine com frango e cogumelos

Anteriormente já o mencionei e a verdade é que nos últimos meses tenho comido muito menos hidratos de carbono, essencialmente menos pão, massas e arroz.
E a verdade, é que tendo sido sempre desde que me lembro louca por massas, nunca imaginei que seria possível viver sem elas... bem, viver sem massa também não é bem assim, principalmente porque acho que devemos comer aquilo que nos dá prazer, e já que quando me apetece faço e como massa, simplesmente como com menor frequência e em menor quantidade.
Para mim, existem essencialmente 2 aspectos muito positivos nesta mudança: sinto-me melhor (e não falo apenas de perca de peso) e quando cozinho qualquer um dos alimentos que agora consumo menos tenho muito mais vontade de criar ou experimentar receitas diferentes!




Ingredientes:
300g massa fettucine
30g azeite
2 dentes de alho
700g peito de frango
1 lata de cogumelos laminados Compal da Horta
2 dentes de alho
Sumo de 1 limão
1 c. chá de açafrão em pó
Sal q.b.
Pimenta q.b.


Preparação:
- Corte o frango em pedaços, tempere com sal, pimenta e sumo de limão. 
- Numa frigideira, coloque um pouco de azeite e um dente de alho picado, depois junte os pedaços de frango, o açafrão e os cogumelos laminados, envolva e deixe cozinhar.
Enquanto isso, coza a massa em água abundante, durante cerca de 8 minutos e, quando estiver cozida, escorra e passe por água fria. 
- Num prato, coloque a massa e o frango. Adicione o parmesão em lascas e sirva.



Fonte - Receita adaptada da revista Teleculinária Semanal nº 1828.

14 outubro, 2014

Salmão à Brás

Ao longo de vários anos que o salmão se mantém como o meu peixe preferido e por isso vou sempre tentado inventar umas receitas novas para ir diversificando o mais possível e por outro lado, ainda não provei um prato que não ficasse bom num versão à brás!
Ora bem, decidido que ia sair uma receita de salmão à brás e que é sempre bom aproveitar as sobras que ficam pelo frigorífico, aproveitei e juntei alguns tomate cereja que tinham sobrado de outra receita e, claro que não podiam faltar as tradicionais azeitonas .




Ingredientes:
2 lombos de salmão
1 cebola
2 dentes de alho
30g azeite
125g tomate cereja
300g batata palha
3 ovos
Aneto Margão q.b.
Sumo de meio limão
Sal q.b.
Pimenta q.b.



Preparação:
- Tempere o salmão com sumo de limão, aneto, sal e pimenta. Reserve.
- Corte a cebola em meias luas e pique os alhos, corte os tomate cereja ao meio. 
- Num tacho, coloque o azeite e refogue a cebola e o alho.
- Junte o salmão, à medida que vai cozinhando desfaça com um garfo, junte os tomate cereja e deixe cozinhar mais alguns minutos.

- Adicione a batata palha, envolva delicadamente.
- Adicione depois os ovos batidos e mexa bem até que esteja tudo bem envolvido.
- Sirva com as azeitonas e acompanhe com salada.


13 outubro, 2014

Voltar ao Cais

Hoje trago-vos uma review de um restaurante mais próximo de casa, trata-se do restaurante Voltar ao Cais em Alhandra.
Confesso que a última vez que tinha estado neste restaurante já tinha sido há uns anos... provavelmente porque eu e o Bruno gostamos de experimentar coisas diferentes a verdade é que nunca mais lá voltámos. Num sábado em que íamos jantar fora com os meus sogros, a minha sogra pediu-nos para escolhermos um restaurante para o jantar... acontece que o meu sogro não gosta nada de experimentar coisas novas, nem especiarias, nem nada que possa parecer minimamente estranho... vai daí teria de ser um restaurante de comida portuguesa! Após algumas tentativas falhadas de reserva noutros restaurantes, lembrei-me deste restaurante.



É um restaurante de comida portuguesa, já com um pequeno toque de modernidade, quer pela comida, quer pelo espaço.
Está aberto desde 2007, e a ementa mantém-se practicamente inalterada desde essa altura. Alguns pratos apenas estão disponíveis em determinadas alturas do ano como a açorda de sável e a lampreia,


Existem várias entradas disponíveis, mas ficámos pelo couvert: queijo fresco, paté de atum e tostas, azeitonas.


Eu escolhi o bife voltar ao cais, que tem um molho de cogumelos, vem acompanhado com salada e batata que normalmente é gratinada, mas nesse dia e para minha desilusão só havia frita; a minha sogra e marido escolheram o bife com molho de mostarda e o meu sogro o bife de touro.
Todos os pratos vieram bem temperados e confeccionados, e como se pode ver em quantidades muito simpáticas já que os bifes são enormes!


Para finalizar, não podia faltar a sobremesa!
Escolhemos o bolo de chocolate encharcado e o bolo de profiteroles, ambos deliciosos!
O bolo de chocolate muito saboroso e húmido, o de profiteroles tem na base o mesmo bolo de chocolate e por cima os profiteroles... divinal!