30 janeiro, 2015

Frango satay com molho de amendoim

Acredito que muitos já tenham ouvido falar de satay, mas não sabem exactamente o que é, como se faz ou a sua origem.
Na realidade, o satay é um prato oriundo da cozinha moderna da Malásia e Indonésia, mas bastante popular noutros países da Ásia e um pouco por todo o Mundo, que consiste em espetos de carne grelhada e acompanhada por molho de amendoim.
As versões mais comuns são elaboradas com carne de frango ou vaca, mas também se pode preparar com peixe e camarão, vegetais ou tofu, dependendo do gosto pessoal.



Ingredientes:
400g bifes de frango
1 c. sopa de mel
1 c. sopa molho de soja
1 dente de alho picado
1 pitada de pimenta caiena

Ingredientes para o molho de amendoim:
2 dentes de alho
1 c. chá gengibre Margão
1 c. chá cominhos em pó
1 c. chá coentros em pó
Sumo de meio limão
2 c. sopa açúcar amarelo ou moreno
200g manteiga de amendoim Myprotein
2 a 3 c. sopa água


Preparação:
- Corte o frango em tiras e reserve.
- Misture o mel, o molho de soja, a pimenta e o alho. Envolva as tiras de frango na marinada, deixe repousar durante pelo menos 1 hora.
- Para fazer o molho de amendoim, coloque todos os ingredientes num robot de cozinha ou liquidificadora e triture. Caso o molho fique demasiado espesso, junte um pouco mais de água. Transfira o molho para uma taça e reserve.
- Retire as tiras de frango da marinada e insira em espetos em forma de S.
- Grelhe as espetadas numa frigideira ou num grelhador, durante cerca de 4 a 5 minutos de cada lado.
- Sirva com o molho de amendoim.



Fonte - Receita adaptada do livro 500 pratos sem glúten

29 janeiro, 2015

Tranches de pescada com tomate e cogumelos no forno

Todos gostamos de refeições caseiras e saborosas, mas também sabemos que nem sempre o tempo é nosso aliado.
A sugestão de hoje é extremamente simples de preparar, basta refogar, misturar os diversos ingredientes, colocar no forno, esperar alguns minutos e em menos de nada está pronto! Além disso, é sempre mais uma forma de comer peixe.
Podem trocar a pescada por outro tipo de peixe, como bacalhau ou salmão, e fazer alterações ao molho como trocar os cogumelos por pimentos ou outro tipo de legumes.


Ingredientes:
500g tranches de pescada
1 c. sopa azeite
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 lata de tomate em pedaços
1 lata de cogumelos laminados
1 c. chá ervas de provence
Sal q.b.
Pimenta q.b.



Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 180º.
- Numa frigideira, deite o azeite e junte a cebola e o alho, deixe refogar durante alguns minutos.
- Junte os cogumelos e o tomate, deixe cozinhar durante mais cerca de 5 minutos.
- Num pyrex, coloque as tranches de pescada e por cima deite o molho de tomate e cogumelos.
- Leve ao forno durante cerca de 20 minutos.
- Acompanhe com arroz ou puré de batata.

28 janeiro, 2015

Salada asiática de carne de vaca

A par com a cozinha indiana, sou uma apaixonada pela cozinha asiática. Adoro as cores, os ingredientes diferentes e exóticos, a harmonia entre os vários sabores doce, picante e ácido, e além disso adoro utilizar o wok! Acho impressionante como de forma tão rápida e simples se consegue criar uma receita deliciosa e com sabores tão variados.
Um dos ingredientes que mais uso e gosto, seja qual for o tipo de cozinha, são os cogumelos. Podem ser grandes ou pequenos, como prato principal ou simplesmente salteados, é daqueles ingredientes extremamente versáteis e hoje em dia é possível encontrar facilmente diferentes tipos de cogumelos à venda.
Para esta receita, decidi usar cogumelos shiitake que é uma espécie oriunda da Ásia e é actualmente a segunda espécie de cogumelo mais consumida em todo Mundo. O shiitake é bastante nutritivo, rico em proteína e aminoácidos, existem estudos que também dizem que possui propriedades medicinais que ajudam no controle de colesterol e pressão arterial.


Ingredientes:
300g bifes de vaca (alcatra ou lombo)
1 embalagem de cogumelos shiitake desidratados
Óleo de coco q.b.
150g mistura chinesa
1 cebola roxa picada
1 c. sopa sambal oelek
Sésamo dourado Margão q.b.


Preparação:
Coloque os cogumelos dentro de um recipiente com água morna cerca de 30 minutos para que hidratem.
- Coloque o óleo de coco num wok ou frigideira grande aquecido e junte os bifes, deixe cozinhar durante cerca de 3 a 4 minutos. Retire e deixe repousar durante cerca de 10 a 15 minutos, depois corte a carne em tiras finas.
- Junte mais óleo de coco ao wok, junte a cebola, a mistura chinesa e os cogumelos, deixe saltear.
- Adicione o sambal oelek, as sementes de sésamo e as tiras de carne reservadas, envolva bem e deixe saltear por mais 2 a 3 minutos.
- Polvilhe com mais sementes de sésamo e se quiser sirva acompanhado de noodles.


27 janeiro, 2015

Workshop e jantar com o chef Vítor Sobral na Cervejaria da Esquina

Tive o prazer de receber um convite por parte da Oliveira da Serra para um workshop com o chef Vitor Sobral, seguido de jantar, por altura do Natal. Nunca tinha estado em nenhum dos restaurantes fo chef, por isso não tinha ideias pré-concebidas, mas estava bastante curiosa.




O espaço é muito bonito e acolhedor, parece-me um local onde facilmente podemos facilmente passar horas à mesa a comer e à conversa. O staff é muito simpático e atencioso, principalmente o chef sempre disponível para responder a todas as questões e com um excelente sentido de humor.



O tema do workshop eram as aves e os pratos escolhidos para a ocasião foram: caldo de pato com citrinos, fígados e rábano; fricassé de galo, limão, manga e hortelã; e perna de perú, pasta de avelã e tomilho-limão.



Começando pelo caldo, adorei a combinação do pato com o rábano, os pinhões e a hortelã, algo invulgar, simultaneamente reconfortante e refrescante. 



Seguiu-se o fricassé, que logo o conceito me cativou por ser preparado com uma fruta exótica e sem dúvida foi um dos meus pratos preferidos da noite! 
A carne estava muito tenra, o molho cremoso e o sabor a manga era evidente, mas sem ser exagerado ou enjoativo. 



Veio depois a perna de perú com a pasta de avelas e tomilho-limão, a carne macia e muito saborosa, a pasta tinha um sabor muito característico devido aos frutos secos (avelãs e amêndoas) combinados com vinagre e vinho, que tão bem contrastava com a carne e que só lamento não ter ficado com uma crosta mais estaladiça.



Por fim, a sobremesa que foi o meu outro prato preferido da noite: pudim de chá verde, puré de damascos e aguardente com farofa. O pudim, leve e aromático, doce q.b, em excelente contraste com o puré mais intenso, percebo a ideia da farofa para contraste de texturas... mas sinceramente, para o meu gosto pessoal, dispensava.

Penso voltar numa próxima oportunidade e assim experimentar os petiscos da ementa!

26 janeiro, 2015

Frittata de ervilhas e espinafres

As frittatas têm sido presença habitual à mesa,é algo que gosto de fazer no final de uma semana mais complicada ou durante o fim de semana.
Adoro receitas que envolvam ovos ou queijo ou melhor ainda quando posso combinar esses dois ingredientes e depois simplesmente ver o que posso juntar à frigideira!
Neste caso, decidi aproveitar sobras de vegetais congelados e tinha para usar ervilhas e espinafres, bastou-me deixar a descongelar algum tempo antes e espremer bem os espinafres... simples e muito prático.
Desta Cezar, decidi experimentar um queijo sem lactose, o que resultou na perfeição e nem se nota diferença no sabor, mas podem usar outro tipo de queijo como mozzarela ou cabra.



Ingredientes:
6 ovos
1 c. sopa azeite
1 dente de alho picado
150g espinafres
100g ervilhas
60g queijo Sem Lactose Lactícinios Paiva ralado
Sal q.b.
Pimenta q.b.


Preparação:
- Pré-aqueça o forno a 180º.
- Bata os ovos e reserve.
Numa frigideira pré-aquecida, deite o azeite, junte o alho, os espinafres e as ervilhas e deixe saltear. Tempere com sal e pimenta.
- Junte os ovos batidos e deixe cozinhar a parte de baixo até que o ovo junto à extremidade da frigideira esteja cozinhado e fique dourado. Nessa altura, apague o lume e coloque por cima o queijo ralado.
- Leve a frigideira ao forno até que o queijo derreta e fique um pouco dourado.



23 janeiro, 2015

Fruta desidratada

Na semana passada, publiquei este post especialmente dedicado ao desidratador de alimentos e algumas dicas e vantagens relativamente à desidratação de alimentos.
Já agora, aproveito para referir 2 pontos que acho importantes: primeiro, ainda que o processo de desidratação demore algum tempo não verifico aumento na conta da electricidade e segundo, os alimentos desidratados têm um período de validade médio de 6 a 12 meses.
Hoje, trago-vos algumas das minhas experiências com fruta e que vos podem servir de exemplo para alimentos que queiram desidratar. Ficou em falta o kiwi desidratado, que posso dizer que à programando a mesma temperatura da banana demorou menos tempo a ficar pronto.



Ingredientes:
5 laranjas
5 bananas
1 lata de ananás em pedaços
1 lata de pêssegos em metades
Sumo de limão q.b.

Borner cortador de legumes
Desidratador de alimentos



Preparação da laranja:
- Lave as laranjas, depois seque com papel de cozinha e utilizando a mandolina, corte de forma a obter rodelas muito finas.
- Passe as rodelas em sumo de limão e distribua pelas prateleiras do desidratador.
- Programe a temperatura de 60º e deixe desidratar durante cerca de 12 a 14 horas.
- Se preferir, pode descascar a laranja.

Preparação da banana:
- Descasque as bananas.
- Utilizando a mandolina do lado mais fino, corte a banana de forma a obter rodelas muito finas.
- Passe as rodelas de banana em sumo de limão e distribua pelas prateleiras do desidratador.
- Programe a temperatura de 65º e deixe desidratar durante cerca de 10 horas.

Preparação da fruta de calda:
- Escorra a calda.
- Passe os pedaços de ananás em sumo de limão de limão e distribua pelas prateleiras do desidratador.
- Lamine o pêssego o mais fino que conseguir, passe em sumo de limão e distribua pelas prateleiras ainda livres.
- Programe a temperatura de 65º e deixe desidratar durante cerca de 8 horas.


22 janeiro, 2015

Tagine de frango marroquino com azeitonas e limão

A cozinha marroquina é famosa pelo tagine, cuscuz, especiarias, cores e sabores inesquecíveis.
Quando folheava um dos meus livros preferidos, o Volta ao Mundo em 80 Pratos de Davd Loftus,  vi uma receita de tagine frango e bastou-me um olhar para os ingredientes para saber que era exactamente o tipo de receita que adoro, com várias especiarias, a que se juntavam o limão e as azeitonas.
Eu optei por acompanhar com cuscuz, mas caso sejam intolerantes ao gluten recomendo que acompanhem com vegetais.
Uma receita muito simples, com especiarias sem ser excessivamente condimentada, uma mistura de sabores quentes e frescos... e por momentos, senti-me de volta a Marrocos!



Ingredientes:
8 coxas de frango
2 c. chá paprika Margão
1 c. chá cominhos em pó
1 c. chá gengibre Margão
1 c. chá açafrão em pó
1 pitada de canela
Azeite q.b.
1 cebola picada
3 dentes de alho picados
100g azeitonas verdes
1 c. sopa de mel
120ml água
2 limões em quartos
Sal q.b.
Pimenta q.b.


Preparação:
- Coloque o frango numa taça grande e polvilhe com as especiarias, sal e pimenta, envolva bem e reserve durante 1 hora.
- Numa panela, deite o azeite e quando estiver quente junte o frango, deixei alourar.
- Reduza o lume, junte a cebola e o alho, tape a panela e deixe cozinhar lentamente por cerca de 15 minutos.
- Vire o frango, adicione as azeitonas, o mel, os quartos de limão e a água.
- Deixe levantar fervura, reduza o lume e volte a tapar a panela. Deixe cozinhar por mais 30 minutos ou até que o frango esteja bem cozido e tenro.



Fonte - Receita inspirada do livro "A Volta ao Mundo em 80 Pratos"

21 janeiro, 2015

Iswari

A Iswari comercializa alimentos biológicos adequados todas as idades que promovem a saúde, com propriedades curativas e preventivas, alguns deles já ouviram certamente falar como a Clorela, Spirulina, Bagas Goji, Bagas Inca, Açaí, Sementes de Chia, Xilitol,  Agave, entre muitos outros.
filosofia Iswari prende-se com a procura de superalimentos de alta qualidade, maioritariamente biológicos, e baseados nos princípios de "Saúde, Sabor e Sabedoria".  




Farinha de Banana
Conhecido pelos seus atributos, particularmente ao nível do magnésio, vitamina B6 e triptofano, fundamentais para a produção de neurotransmissores, como a serotonina, hormona responsável pelo bom humor. 
Açúcar de Coco
O açúcar de coco é uma alternativa, de baixo índice glicêmico, ao açúcar e é produzido a partir das próprias flores de coco da Indonésia. Rico em vitaminas e minerais, incluindo potássio, zinco, ferro, bem como, vitaminas B, esta é uma forma saudável de manter seus doces sem sentimento de culpa.

Salada de fígado e bacon

Eu consigo imaginar a expressão e o torcer de nariz que alguns de vós devem estar neste momento a fazer ao ler o título desta receita. 
É realmente daquelas coisas que se adora ou odeia, pessoalmente gosto bastante e é algo que como com alguma frequência desde pequena. A minha mãe costuma temperar com alho, vinho, sal e pimenta e depois frita ou então com cebolada, normalmente acompanhado de puré de batata. 
O fígado, para além de ser bastante económico, é bastante rico em inúmeras vitaminas, bem como ferro e zinco.
Quando folheava um dos meus livros de receitas, vi esta salada quente e achei que seria muito interessante fazer algo diferente com este ingrediente.



Ingredientes:
Azeite q.b.
400g fígado de vitela
200 bacon em tiras
3 chalotas picadas
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Mistura de alfaces
Batatas para saltear

Preparação:
- Aqueça cerca de 2 a 3 colheres de sopa de azeite numa frigideira.
- Passe o fígado por farinha e frite-o durante cerca de 3 minutos de cada lado, retire da frigideira e coloque-o em papel de cozinha.
- Junte mais azeite à frigideira e frite as rodelas de batatas, durante cerca de 5 minutos, até que fiquem douradas e estaladiças de ambos os lados. retire da frigideira e coloque em papel de cozinha junto do fígado.
- Junte mais um pouco de azeite à frigideira e frite o bacon por 3 minutos, depois junte as chalotas picadas e deixe cozinhar até que fique macio.
- Disponha as folhas de alface no prato e junte as batatas, o bacon e as chalotas.
- Corte o fígado em pedaços finos e junte à salada.



Fonte - Receita adaptada do livro 200 receitas cozinha fácil

20 janeiro, 2015

Adega Machado

Nunca tinha estado numa casa de fados, portanto tinha bastante curiosidade!

À chegada, somos recebidos por um porteiro que nos leva até à sala de jantar, onde por sua vez outro empregado nos leva até à mesa previamente reservada.



O espaço é lindissimo! Um espaço recentemente renovado, com um design moderno mas acolhedor, iluminação suave, confortável e bonita decoração.
O serviço foi amável e bastante disponível, com o empregado a sugerir e a explicar alguns dos pratos da carta. 
Optámos pelos menus já definidos (que incluem entrada, prato e sobremesa), ele escolheu o 1 e eu o 4.



Começamos então pelas entradas, para ele os lombinhos de bacalhau sobre esmagada de batata doce, tomate e pimento assado e alho, um excelente equilibrio de sabores, gostei especialmente da combinação com batata doce; para mim o tártaro de viera e lavagante, com uma apresentação moderna e interessante, sabor leve e fresco. 
As entradas chegaram durante a 1ª actuação pelo que quando tiramos fotos já não estava tudo no prato.




Chegam os pratos principais, um arroz de lavagante e vieira para ele e naco de vaca com molho de cogumelos para mim. Saliento desde já duas caracteristicas positivas que ambos os pratos partilhavam: tempero apurado e a cozedura no ponto.

O arroz era delicioso, muito bem temperado, o arroz no ponto certo e tanto o lavagante e a vieira a desfazerem na boca. O naco veio cozinhado na perfeição (pedi médio, como sempre), bem temperado, um molho de cogumelos com a consistência certa e vários tipos de cogumelos frescos, acompanhava com batata que era bastante boa.



Para finalizar, as sobremesas! Para ele, a brownie de chocolate, macarron e zabaione de cereja, caviar de cereja e amêndoa amarga e para mim, Arroz doce, arroz tufado, gelado de arroz doce, redução de vinho do Porto e coulis de laranja. 
Bem, estavam fabulosas! 
A brownie tinha um sabor intenso a chocolate juntamente com o zabaione proporcionava uma combinação muito interessante, a meu ver apenas pecava pelo facto do macarron  estar demasiado cozinhado enão tinha a leveza que deveria ter. Quanto a mim, que nem gosto de arroz doce, mas quis experimentar por curiosidade pelo gelado de arroz doce... Soberbo! O arroz doce era delicioso, apresentado de uma forma totalmente diferente do habitual e o gelado era magnífico, cremoso e muito saboroso, o arroz tufado dava um final crocante, é uma forma diferente de comer arroz doce.



A Adega Machado é mais do que um um simples restaurante ou uma simples casa de fados, é sim um restaurante que oferece uma experiência única e completa. E não sendo um local a visitar devido ao custo elevado (mas totalmente justificado!) acho que pelo menos 1 vez na vida, toda a gente deveria ir a um espaço destes. 
Absolutamente recomendado!

19 janeiro, 2015

Risotto de ervilhas e queijo brie

Desde que fiz o meu primeiro risotto que estes se tornaram presença habitual à mesa.
Para mim até se torna algo curioso, porque sempre fui mais apreciadora de massa do que arroz com excepção para algumas receitas como o arroz de açafrão que uso como acompanhamento quando faço comida indiana, o arroz de polvo ou o arroz de marisco no Verão. E o risotto em especial, que é tão cremoso e rico, torna-se a receita ideal para dias mais frios e chuvosos como aqueles que temos tido.
Claro que tenho os meus preferidos, como o de cogumelos, o de camarão ou o de alho-francês, mas a receita de hoje é bem capaz de se tornar um dos mais frequentes. 


Ingredientes;
1 cebola
2 dentes de alho
50g azeite
350g ervilhas
300g arroz para risotto
1 caldo vegetal
850g água
50g vinho branco
80g queijo brie, em pedaços
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Parmesão ralado q.b.


Preparação:
- Coloque no copo da Bimby a cebola, o alho e o azeite pique 5seg, Vel 5 e refogue 5min, Temp 100º, Vel 1.
Adicione a água, o vinho, o arroz, o caldo vegetal, tempere com sal e pimenta, programe 8min, Temp 100º, Vel Colher Inversa.
- Adicione as ervilhas e programe 8min, Temp 100º, Vel Colher Inversa.
- Adicione a maior parte do queijo brie e envolva com a espátula.
- Sirva com pedaços do queijo brie e parmesão ralado.

Para acompanhar este prato recomendo Boa Memória de Monte Seis Reis

16 janeiro, 2015

Desidratador de alimentos

Foi há vários meses atrás, que me deparei pela primeira vez com um desidratador de alimentos no instagram do chef Joe Best que usa o dele para fazer o famoso alho negro e após uma rápida pesquisa ao perceber tudo o que poderia fazer com a dita máquina, perguntei onde poderia comprar e o respectivo preço. Entretanto,  tempo foi passando e só quando estive de férias em Novembro é que finalmente me decidi a ir à loja e comprar o meu.


Para já, ainda apenas testei com vários tipos de fruta, fresca e de lata, mas quero em breve experimentar tomate e cogumelos. Podem desidratar quase tudo, desde fruta, legumes, carne e peixe, flores, ervas aromáticas... tudo depende do vosso gosto e imaginação.



Dicas
Os alimentos a desidratar devem ser cortados o mais fino que conseguirem, desta forma o processo é mais rápido e vão obter melhores resultados. Por isso, recomendo que usem uma mandolina como o Borner cortador de legumes e os alimentos ficam bem finos como podem ver aqui
Os alimentos devem ser distribuídos pelas bandejas (eu tenho 5) sem os sobrepor. 
Podem usar todas as bandejas ou apenas algumas, podem fazer com os mesmo alimento ou misturar vários alimentos que tenham tempos de desidratação similares.
Existem alimentos que após estarem cortados, é conveniente passá-los por sumo de limão e assim evitar que oxidem.
O tempo que demora um alimento a desidratar varia consoante o tipo de alimento, a espessura com que foi cortado e a temperatura recomendada, pode variar no mínimo desde as 6horas até às 18horas para a maioria dos alimentos.
Sabem que o alimento está pronto quando ao pressionarem não sentirem humidade.
Quando pronto, basta armazenar em frascos, sacos que fechem a vácuo, etc na vossa despensa ou em qualquer lugar fresco e seco, sem exposição directa à luz solar.


Vantagens
Snacks saudáveis e que podem levar convosco para todo o lado.
Podem usar nos vossos cereais, com iogurte, papas de aveia, muffins...
Mais económico que a fruta desidratada de compra.
Evitar o desperdício: sempre que tenham excesso de fruta e/ou legumes é uma forma alternativa de os preservar. O mesmo se aplica caso decidam aproveitar alguma promoção no supermercado!
Preservar alimentos.
Podem fazer o vosso próprio pout porri.
Podem oferecer a amigos e/ou familiares em datas festivas.

15 janeiro, 2015

Frango Korma

Uma das minhas grandes paixões na cozinha é sem dúvida a cozinha indiana e com ela as inúmeras especiarias. Longe vão os dias que não suportava o cheiro a caril, agora tenho um armário cheio de frascos dos mais variados pós e sementes.
Simplificando, o korma é um tipo de caril suave, pode ser feito com carne, vegetais ou mesmo camarão, a que se junta uma mistura de especiarias e a que junta leite de coco e amêndoas. Ao leite de coco pode juntar-se água ou caldo, natas ou mesmo iogurte natural.
A par com o frango tikka masala é um prato extremamente popular!



Ingredientes:
600g peito de frango em pedaços
3 c. sopa óleo de coco
1 cebola grande picada
3 dentes de alho picados
½ c. chá de gengibre Margão
½ c. chá de açafrão em pó Aromas e Especiarias
1 c. chá cominho em pó
1 c. chá coentros em pó
500ml leite de coco
100g amêndoa moída
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Coentros picados q.b.
Amêndoas para polvilhar q.b.


Preparação:
- Num tacho, aqueça 2 c. sopa óleo de coco e deixe aquecer, junte o frango e deixe cozinhar durante cerca de 7 a 10 minutos, mexendo para que fique ligeiramente tostado. Retire e reserve.
- Junte o restante óleo de coco e refogue a cebola e o alho.
- Adicione as especiarias e refogue mais uns minutos, depois deite o leite de coco, a amêndoa moída, sal e pimenta, mexendo continuamente.
- Volte a colocar o frango no tacho, tape e deixe cozinhar em lume brando por 10 minutos.
- Destape, junte os coentros picados e deixe apurar um pouco mais e o molho engrossar.
- Sirva salpicado com amêndoas.


14 janeiro, 2015

A Tua Despensa

Eu adoro compras online! Há vários anos que sou adepta das compras online e faço o mais variado tipo de compras: comida para os gatos, maquilhagem, livros, vouchers para restaurantes, roupa e acessórios, e por aí fora.
Hoje, venho apresentar-vos um novo Supermercado Online, chama-se A Tua Despensa cujos preços são iguais em qualquer ponto do país e com entregas rápidas em todo o continente português. 


Podem comprar produtos de alimentação a bebidas, limpeza da casa a higiene pessoal, sem esquecer os produtos para bebés e parafarmácia, por isso na práctica encontram todos aqueles produtos de que precisamos no dia a dia.
Basta que se registem no site, seleccionem os produtos que desejam adquirir, confirmem sempre se todos os artigos que constam na lista estão correctos (aproveitem e vejam sempre as promoções!) e escolham o método de pagamento. 
Quando a encomenda é enviada, também é enviado um e-mail com o código de rastreio para poder seguir a encomenda na página da empresa de transporte. E depois, é só esperar que a chegue!


A encomenda é entregue numa caixa, não em sacos plásticos, os artigos vêm perfeitamente acondicionados.


Estas foram as minhas compras, há um pouco de tudo: sumos, farinhas, açúcar, tostas, bolachas, etc como podem ver na foto e podem facilmente constatar que chegou tudo em perfeitas condições.
E ainda enviaram um miminho!


Hambúrguer de salmão, cenoura e courgette

Eu confesso que adoro fast-food, mas não é qualquer tipo de fast-food que me agrada, e felizmente hoje em dia já existe imensa oferta com bastante qualidade.
Kebabs, pitas, cachorros-quentes, bifanas, pregos e claro, os hamburgueres gourmet... o difícil é escolher!
Eu adoro criar os meus próprios hamburgueres, sejam feitos de carne, vegetarianos ou de peixe, como é exemplo a receita de hoje.
Esta receita combina o meu peixe preferido, o salmão, e dois dos meus vegetais preferidos, cenoura e courgette, o resultado é um hamburguer muito leve e fresco. Acho que é uma excelente alternativa aos hamburgueres muito pesados e gordurosos, para quem tem crianças pouco adeptas de peixe e vegetais talvez possa ser uma forma de conseguir que comam este tipo de alimentos.



Ingredientes:
2 lombos de salmão
1 cebola pequena
1 cenoura
1 courgette
Aneto q.b.
Cebolinho q.b.
1 ovo
5 c. sopa pão ralado
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Azeite q.b.
Pães para hambúrguer



Preparação:
- No copo da Bimby coloque a cebola, cenoura, courgette, aneto e cebolinho e pique 5seg. Vel 5.
- Junte o salmão e programe 5seg, Vel 4 Colher Inversa.
- Tempere com sal e pimenta, junte o pão ralado e o ovo, programe 3seg, Vel 4 Colher Inversa.
- Retire a mistura para uma taça e forme 4 hamburguers. Reserve no frigorífico durante cerca de meia hora.
- Numa frigideira pré-aquecida, deite o azeite e cozinhe 2 hamburguers de cada vez.
- Corte o pão para hamburguer ao meio, na base disponha a alface e as rodelas de tomate, depois coloque o hamburguer de salmão e por cima o molho de iogurte.


13 janeiro, 2015

Fenícios Castilho

Tinha este restaurante na whislist há algum tempo, andava a guardá-lo para uma ocasião especial e assim foi! Resolvi fazer reserva para o jantar de aniversário de casamento, ao fazer a reserva o sr que me atendeu, muito amável, disse que tentaria reservar a mesa na sala privada para estarmos mais à vontade.



Com as indicações que já tinha e o google maps, foi fácil encontrar o restaurante, mas convém estar atento já que a entrada é discreta e a sinaléctica pouco perceptível.
Estava à espera de um restaurante com uma decoração mais étnica, mas pelo que percebi aos almoços funcionam como restaurante de comida portuguesa, pelo que se compreende. Ainda assim, o espaço é agradável, confortável e acolhedor, muito funcional e com bastante espaço entre mesas.
O atendimento é amável, com os empregados sempre disponíveis par recomendar pratos e esclarecer todos os pormenores.




Pedimos o chá de canela e cravinho, muito aromático, é delicioso.
Começámos pela Mezza Fenícia, que reúne uma série de entradas da cozinha libanesa, desde os mais conhecidos como falafel e hoummus, ambos bastante bons e outros desconhecidos.




A Mezza Fenícia é composta por: moutabal, um puré de beringela grelhada com sésamo, alho e limão, muito saboroso e intenso, tabbouleh, uma salada de tomate e cebola com ervas aromáticas, fresca e aromática, o warak enab, arroz envinagrado com lentilhas, enrolado em folha de videira, talvez a entrada mais invulgar, o labneh, um creme de queijo branco, frresco e ácido q.b., a batata harra, frita e depois salteada em alho e coentros, ligeiramente picante (e altamente viciante), e o lahm bil ajin, que parece uma espécie de empada com carne e especiarias, menos invulgar mas igualmente delicioso. A acompanhar vem o pão libanês, um pão muito fino, perfeito para colocar algumas das entradas, misturando o que quisermos.



Pedimos depois um prato principal para dividir, escolhemos o Kafta Khoush Khash Dejaj, uns rolinhos de frango picantes, com molho de tomate e acompanhado por batata harra, arroz e salada. Uma delícia para o paladar! Picante q.b, muito saboroso, todos os elementos cozinhados na perfeição.



Para terminar as sobremesas, pedimos a tão famosa Baklawa, pastéis recheados com amêndoa e pistáchios, uma sobremesa bastante doce, mas sem ser enjoativa e o Mouhalabié um pudim libanês servido com pistáchios e flor de laranjeira, uma sobremesa mais fresca e leve, acompanha muito bem com a Baklawa. O empregado teve ainda a gentileza de junta um pouco de Halawa para experimentarmos, uma especialidade feita de sésamo moído misturado com açúcar derretido e pistáchios, e tal como nos tinha dito era realmente muito doce quase uma espécie de turron, sendo ideal para partilhar.

Saímos radiantes e com vontade de regressar, se procuram uma experiência gastronómica diferente e autêntica não hesitem em visitar.