23 julho, 2020

Visitar Mértola

No coração do Alentejo e à beira do Guadiana, Mértola sobressai com encanto empoleirada numa penha rochosa
rodeada por muralhas e recheada de histórias, um lugar onde se respira o ambiente mais tradicionalAs ruas calcetadas, o casario de branco e o emaranhado de ruas e escadinhas conferem à vila uma atmosfera única que a tornam num lugar onde apetecer "perder" e vaguear.
Rico em património histórico que é testemunha da presença de vários povos que ao longo dos séculos se instalaram nas suas terras e que moldaram com a sua cultura e tradições. E um sol abundante que convida a dias mais tranquilos...


Encostada ao Guadiana, Mértola está rodeada por muralhas e sobressai com encanto na paisagem do Alentejo profundo, um lugar onde se respira o ambiente mais tradicionalAs ruas calcetadas, o casario de branco e o emaranhado de ruas e escadinhas conferem à vila uma atmosfera única que a tornam num lugar onde apetecer "perder" e vaguear.
A vila possui um riquíssimo património arquitectónico, de grande valor histórico e cultural, onde se destacam Castelo, Igreja Matriz, Convento de S. Francisco, Torre Couraça e Torre do Relógio. 

O actual Castelo de Mértola, construído na época medieval, encontra-se assente em antigas fortificações romanas e muçulmanas, tendo sofrido diversas transformações ao longo da História. A Torre de Menagem, mandada edificar em 1292 por D. João Fernandes, Mestre da Ordem de Santiago, alberga um núcleo museológico e uma vista privilegiada sobre a vila e toda a zona envolvente. 
Logo abaixo do castelo, a Igreja Matriz de Mértola, anteriormente uma mesquita, foi construída durante a ocupação muçulmana da Península Ibérica. No século XIII, durante a Reconquista, a mesquita foi convertida em igreja cristã. 


O Museu de Mértola, criado pela Câmara Municipal de Mértola em 2004, é composto por vários núcleos dispersos geograficamente, na sua maioria localizados no centro histórico de Mértola. Tem sido a sua função estudar, inventariar, tratar, conservar e divulgar todo o espólio que, ao longo dos últimos 30 anos, foi sendo descoberto nas inúmeras intervenções patrimoniais e arqueológicas. 


A Mina de S. Domingos está localizada a poucos quilómetros de Mértola, este local foi desde a Antiguidade muito procurado para a extracção de minérios. A sua exploração moderna iniciou-se em 1858 e manteve-se até 1966 com exploração regular de cobre e o enxofre. A Rota do Minério evoca o passado recente da mina, num trajecto que percorre as ruas da localidade da Mina de S. Domingos, os caminhos do antigo complexo mineiro, segue ao longo da antiga via-férrea e culmina na aldeia ribeirinha do Pomarão, onde se localizava o antigo porto fluvial de escoamento do minério. 
Foi a primeira aldeia do país a ter luz eléctrica e uma linha de caminho de ferro privada, tinha gente de várias nacionalidades e de todos os patamares económicos. 


A Praia Fluvial da Mina de São Domingos foi criada em Junho de 2000 e fica na chamada Tapada Grande, a maior de duas albufeiras de água doce que forneciam água para o processamento de minerais, assume-se hoje como uma das principais atracções do concelho de Mértola, sobretudo na época balnear. Muito procurada pelos banhistas no Verão, é ideal para fazer canoagem ou paddle, não só no verão, mas em todas as estações.
A conhecida cascata do Pulo do Lobo é uma grande atracção turística, situada a cerca de 18km de Mértola. Este é um dos mais dramáticos trechos do Rio Guadiana, fica tão estreito que, segundo a lenda, um lobo em caça o transpõe de um só salto. 

E a partir de Mértola, podem visitar outros locais no Alentejo como Serpa, Beja ou Alcountim.


Sem comentários:

Publicar um comentário