19 maio, 2020

15 restaurantes a que quero voltar

Os restaurantes estão de volta! Depois de dois meses fechados, e à medida que lentamente regressamos à normalidade possível,  restaurantes começam a reabrir esta semana depois de um grande esforço e investimento para garantir o cumprimento das regras de higiene exigidas.
Por aqui, pretendemos voltar a almoçar e jantar fora, sabendo que é perfeitamente natural existirem receios nesta fase, mas não deixem de apoiar os vossos restaurantes preferidos, a padaria do bairro ou o restaurante que reservam para as ocasiões especiais porque só desta forma estes negócios se podem manter vivos. E se preferirem, a maioria está disponível em take away ou com entrega.
Trago-vos uma lista de 15 restaurantes, apenas alguns dos meus preferidos, que devem mesmo conhecer!


Boa-Bao
Quando digo que é possível viajar através da comida saibam que não estou a exagerar: todo o espaço nos remete para o imaginário asiático com vários apontamentos que nos despertam a curiosidade, uma cozinha pan-asiática que respeita as receitas originais e usa ingredientes frescos e típicos de países como a Tailândia, o Cambodja, Laos, Vietname, Malásia, China, Japão e Coreia, cocktails únicos e criativos. Uma viagem plena se sabores genuínos onde a tradição e a modernidade marcam encontro. E continua a ser um dos restaurantes mais concorridos de Lisboa!


Saiko
O Saikō é um restaurante elegante e sofisticado, onde tudo está pensado ao pormenor desde a decoração, a luz e a loiça utilizada, onde o sushi de fusão apresentado é de enorme qualidade, criativo e original, com elementos que surpreendem e não encontramos em qualquer outro lado.
The Old House
Uma marca de restauração conceituada na China, sendo o restaurante de Lisboa o primeiro a abrir fora do país. O The Old House destaca a gastronomia chinesa de uma forma muito especial, a estrela é a cozinha de Sichuan, inconfundível, com sabores fortes que nos levam numa viagem até à Ásia.
Um espaço pensado ao pormenor, desde a decoração sofisticada, ao serviço dedicado e a confecção perfeita dos alimentos.


Tantura
Localizado em pleno Bairro Alto, é um restaurante de comida israelita com influências de outros países. Durante a lua de mel em Portugal, o casal israelista Elad Bodenstein e Itamar Eliyahuo, rapidamente se apaixonaram pela cidade e decidiram ficar e abrir um negócio. Comida israelita de excelência feita com o maior amor e dedicação possível, um espaço acolhedor e descontraído, onde te sentes em casa tanto pela decoração e espírito que ali se vive.

Ferroviário
O Ferroviário tem um novo restaurante com vista sobre o Tejo, uma carta ímpar assinada pelo chef Vitor Hugo, concertos regulares com grandes nomes da música portuguesa, festas, jazz, DJ’s e até manhãs de fitness e yoga são apenas algumas das novidades de um dos espaços mais emblemáticos da cidade.
Groove
Abriu as portas recentemente no Saldanha e trouxe consigo um pouco da alma brasileira. O restaurante, junto ao Arco do Cego, tem nele a alma dos seus fundadores que se dedicaram a construir este espaço e que que colocaram toda a sua paixão nas paredes rústicas ou no chão inspirado no azulejo português e claro, em todos os pratos que idealizaram… tudo feito com alma e muita paixão.
Faz falta em Lisboa mais restaurantes assim: bom produto a preço acessível, onde nos sentimos em casa, e tudo é feito com alma!


Hops
Depois de percorrer o país com uma carrinha onde serviam 12 cervejas artesanais portuguesa e vários petiscos, o Hops decidiu "estacionar" no centro de Lisboa junto ao Campo Pequeno.
Conta agora com mais oferta nas bebidas e inúmeras marcas de cerveja artesanal presentes como Praxis, Dois Corvos, Bolina, Musa, Letra, Trindade, Mean Sardine e Trevo da Caparica; e além disso, a carta foi criada pelo chef Abel Moura e Cunha, que passou pelo Rabo d’Pêxe, na Avenida Duque d’Ávila. E com um ambiente muito acolhedor e descontraído, é perfeito para beber um copo depois do trabalho ou partilhar alguns petiscos com os amigos.
Coxinharia
Abriu em Novembro, em Alcântara, e é paraíso dos famosos salgadinhos brasileiros! 
No Brasil este salgado tem dezenas de versões, na Coxinharia existem 7 versões que são preparadas à mão e fritas no momento, desde a original, a fit (assada no forno), de bacalhau e queijo da serra, de gambas e abóbora, a veggie, de queijo e de carne. Para além dos menus diários, na carta ainda tem wraps, saladas, menu infantil e uma tradicional feijoada à brasileira todos os sábados. 
Brunch Mammy Choux
A Mammy Choux Confeitisserie, localizado no Seixal, é um espaço com confecção própria onde é possível encontrar doçaria de tradição portuguesa e francesa. 
Um espaço moderno e requintado, com um atendimento cuidado e atento onde todos os pormenores contam, onde pode tomar pequeno-almoço ou brunch, almoçar, lanchar ou simplesmente deliciar-se com uma das tentadoras sobremesas.


Tropismo
Abriu as suas portas durante o Verão de 2019 no bairro de Campo de Ourique e trouxe consigo um conceito diferente e único, não só pelo espaço mas também pela sua cozinha. Na carta, podemos encontrar pratos de influência francesa preparados com produtos portugueses, sazonais e locais.


Ajitama
Chama-se Ajitama Ramen Bistro e é o mais recente projecto de dois amigos aficionados do ramen que abriram o Ajitama Supper Club – o primeiro supper club em Portugal especializado no prato mais consumido pelos japoneses. Após um ano e meio a servir jantares uma vez por semana e perante uma lista de espera a crescer exponencialmente (ultrapassando 1800 pessoas), os dois entusiastas do emblemático caldo japonês decidiram abrir o seu próprio restaurante de ramen. 
Localizado na Avenida Duque de Loulé, o ramen é uma vez mais o prato Rei e os dois fundadores irão manter a sua premissa de proporcionar uma autêntica experiência gastronómica japonesa e empregar técnicas artesanais.
Chutnify
Em Lisboa é fácil encontrar um restaurante indiano, mas foi no Príncipe Real que nasceu um restaurante indiano diferente de todos os outros. O Chutnify é um restaurante indiano nada convencional com um ambiente moderno e descontraído, com uma decoração a remeter para Bollywood, a ementa apresenta pratos de toda a Índia e inclui pratos de street food, e sem esquecer uma selecção de tentadores cocktails... tudo o que precisa para uma viagem pelos sabores exóticos da Índia.
Mercantina Bistro 37
No mesmo espaço que foi em tempos o Café Cubana onde se reuniam alguns dos mais relevantes artistas plásticos do Surrealismo português, nasce um novo restaurante com um conceito mais mediterrâneo com pratos ligados à terra e ao mar, com muitos pratos para partilhar.
Na decoração também nenhum pormenor foi deixado ao acaso, como uma garrafeira enorme cheia de vinhos, o forno a lenha Stefano Ferrara (descrito como o “ferrari” dos fornos), os candeeiros trabalhados e as portas ornamentadas, mármores e arte na parede.


Okah
Existem restaurantes que não passam despercebidos, um dos exemplos mais recentes é o Ōkah um restaurante de inspiração asiática, no rooftop do edifício LACS, uma vista invejável e com uma estrutura feita a partir de contentores.
A carta do Ōkah leva-nos numa viagem pelos sabores da Ásia num registo contemporâneo e sofisticado, em que predominam as cores e os aromas das especiarias, ainda oferece um ambiente tranquilo e uma vista privilegiada sobre o Tejo.


Brunch À Boca do Mar
(reabertura ainda por definir)
Não há nada melhor que um brunch domingo, mas o brunch À Boca do Mar no Grande Real Villa Itália não é um brunch qualquer, aliás não é por acaso que é o brunch que já repeti mais vezes. 
É um dos melhores e mais completos brunches que já tive oportunidade de experimentar, one podemos encontrar desde pastelaria tradicionais, deliciosos ovos benedict, frescas salada, assim como sushi de fusão e poke bowls.
Tudo isto num cenário numa localização fantástica e com uma vista de cortar a respiração, num ambiente elegante, onde o tempo passa devagar e nos sentimos verdadeiramente mimados.
Review

Sem comentários:

Publicar um comentário