07 março, 2018

Cobalt Restaurant

O restaurante Cobalt oferece uma ementa e ambientes requintados, com uma apresentação contemporânea e sofisticada em que os produtos regionais e os vinhos portugueses são as verdadeiras estrelas num harmonioso desfile de sabores. A juntar a isso, temos a sala ampla e luminosa, onde predomina o branco e o azul, com uma magnífica vista sobre campo de golfe e o Oceano Atlântico, e um staff atento e disponível, temos todos os "ingredientes" necessários para uma excelente experiência gastronómica.
Recomendo também a passagem pelo Cobalt Bar, perfeito para um aperitivo antes do jantar, onde podem experimentar um dos muitos cocktails de autor disponíveis.



O couvert consiste em pão (tradicional, sementes de papoila, sementes de sésamo ou outro) e manteiga aromatizadas cujos sabores vão variando todos os dias. A entrada Pasta de Cavala Fumada, é apresentada sob a forma de duas texturas diferente e acompanhada por cogumelos e agrião, o que confere um harmonioso equilíbrio.

As nossas escolhas recaíram sob o Sames de Bacalhau com mão de vaca e feijoca e o Lombo de Novilho dos Açores, dois pratos tradicionais e e deliciosos, preparados na perfeição. Para quem não conhece, sames é a bexiga natatória do bacalhau e é uma verdadeira iguaria, com a mão de vaca e a feijoa é um prato com sabor reconfortante e bem português; já o lombo cozinhado na perfeição, tenro e suculento, acompanha na perfeição com o rosti de batata doce e molho de queijo de vaca.



As sobremesas Entremet de Chocolate e Bolo de beterraba e cenoura foram o final perfeito! O entremet de chocolate com curd de limão e compota de ruibardo combina a riqueza do chocolate com a suavidade cítrica do curd de limão e do ruiabardo; e o bolo de beterraba e cenoura com creme de queijo já por si só divinal, mas o gelado de tangerina transforma esta sobremesa ao dar-lhe um toque ácido e fresco.


O restaurante possui uma sala ampla, onde predomina o branco e o azul, com enormes janelas,  decorado num estilo sofisticado e contemporâneo, e uma vista magnífica sobre campo de golfe e o Oceano Atlântico.
Todo o staff é extremamente atencioso e atento, sem nunca ser intrusivo, conhecem ao pormenor a ementa e a carta de vinhos e estão disponíveis para explicar todos os pormenores e fazer recomendações.


À chegada, um miminho do chef, uma espuma de salmão muito leve e fresca, perfeita para abrir o apetite para o almoço. Como entrada, escolhemos o Salteado de atum com migas alentejanas, o atum apenas levemente braseado é tenro e macio, a conjugação com as migas alentejanas e a gema de ovo é absolutamente deliciosa.


Para este almoço, escolhemos o Leitão malhado de Alcobaça e a Bochecha de vaca estufada com trufa preta, dois pratos reconfortantes e perfeitos para esta época do ano. Apreciadora de leitão que sou adorei a apresentação moderna e elegante deste prato, o leitão é tenro e suculento, a pele crocante e é acompanhado por um delicado puré de aipo e maçã que equilibra na perfeição a riqueza desta carne; a bochecha de vaca  é tão tenra e suculenta que se desfaz ao toque e a trufa intensifica o sabor do estufado.


Para terminar o almoço, as sobremesas Maçã de Alcobaça num crumble e Pêra recheada com chocolate. A maçã de Alcobaça é apresentada num crumble desconstruído com frutos secos e gelado de avelã, excelente equilíbrio entre os sabores doce e ácido da maçã e a riqueza dos frutos secos; a pêra recheada tem uma apresentação muito bonita e interessante e combina muito bem a leveza da pêra e riqueza do chocolate.


No nosso último jantar, escolhemos começar com a Empada de frango biológico e o Trio de queijos. A empada tem a massa com a cozedura perfeita para o recheio de frango cremoso e a salada  maçã tem a frescura e acidez ideal para equilibrar a riqueza da empada; o trio de queijos é composto pelos queijos de vaca, ovelha e cabra e acompanha com abóbora, numa espécie de tábua de queijos moderna, é perfeita para os apreciadores de queijo.



Desta vez, as escolhas foram o Filete de garoupa com polvo frito e Lombo de tamboril envolvido em ervas aromáticas. O filete de garoupa era irrepreensível com textura macia e a lascar ao toque e a sua pele crocante e o polvo tenro e macio enriquecidos pelo sabor do molho de caldeirada; o lombo de tamboril com arroz malandrinho, sapateira e fígado, cozinhado e temperado na perfeição.


Para terminar, Castanha em três texturas e Bombom de chocolate branco com framboesas.
A castanha apresenta-se sob a forma de pudim, mousse e caramelizada, acompanhada por vinho do Porto, uma sobremesa indulgente e reconfortante; o bombom era um dos pratos exclusivos para o Dia dos Namorados e não resisti a experimentar, a riqueza do chocolate branco e a acidez dos frutos vermelhos é uma combinação tentadora e deliciosa.


Amanhã post dedicado ao roteiro de Óbidos

Sem comentários:

Publicar um comentário